Feeds:
Posts
Comentários

Archive for julho \29\UTC 2014

FAZENDO A FESTA

Eta danado! Amanhã, quarta, estarei indo para Paraty. Para quem quiser me acompanhar, veja a programação abaixo e a gente se encontra por lá durante a FLIP e viva!

[1] Na quinta, começa a oficina “Formas Breves”, que coordenarei na Casa Cultural SESC Paraty. Vai até sábado, das 10 às 13 horas. A lotação já está esgotada.

[2] Também na mesma Casa SESC, às 14h30 da sexta-feira, participarei de bate-papo com os escritores Arhur Cecim e João Vereza, mediado pelo parceiro e amigo Marcelo Moutinho.

[3] Antes, na quinta-feira, 16 horas, estarei na Casa da Libre, à Rua da Lapa, fazendo uma leitura de meus contos, marcando, assim, o lançamento do áudiolivro “Angu de Sangue”, que acabou de sair pela editora Livro Falante.

[4] Na sexta, às 18 horas, na Casa do Autor Roteirista, sob a batuta de Thelma Guedes e Newton Cannito, mediarei um bate-papo entre Adriana Falcão, Paulo Lins e a própria Thelma. Logo em seguida, participarei, no mesmo local, de um sarau cheio de grande atrações. Aguardem surpresas. Aliás, a programação da Casa está um show e viva.

[5] E, é claro, a gente se encontra pelos botecos da vida e ruelas e cachaças à vista e bora embora e aquelabraço e salve, salve, saravá e maravilha!

Read Full Post »

TENTANDO ENTENDER

11935_852883388059824_8208239278553401034_n

*

língua: o conjunto das palavras e expressões usadas por um povo, por uma nação. nação: povo ou tribo índigena. índigena: índio. índio: indíviduo pertencente a qualquer um dos povos aborígines das Américas. aborígine(s): nativo. nativo: congênito. congênito: gerado ao mesmo tempo. mesmo: semelhante. semelhante: convizinho. convizinho: próximo. próximo: que está prestes a acontecer. prestes: disposto, pronto, preparado. preparado: arranjado com antecedência. antecedência: ato ou efeito de anteceder(-se). anteceder: realizar antes do tempo. tempo: presente, passado e futuro. futuro: destino. destino: sorte, fado. sorte: acidente da fortuna. acidente: acontecimento infeliz, casual ou não, e de que resulta ferimento, dano, estrago, prejuízo, avaria, ruína. ruína: aniquilamento, destruição, extermínio. extermínio: chacina. chacina: matança. matança: carnificina. carnificina: carniça. carniça: animal de que se faz carnagem. animal: pessoa desumana, bárbara, cruel. pessoa: cada ser humano considerado na sua individualidade física ou espiritual, portador de qualidades que se atribuem exclusivamente à espécie humana, quais sejam, a racionalidade, a consciência de si, a capacidade de agir conforme fins determinados e o discernimento de valores. consciência: cuidado com que se executa um trabalho, se cumpre um dever; senso de responsabilidade. executa(r): justiçar. justiçar: punir com a morte. morte: grande dor, pesar profundo. pesar: pôr na balança. pôr: fazer entrar. entrar: meter-se. meter: copular. copular: emparelhar. emparelhar: comparar. comparar: confrontar. confrontar: pôr frente a frente. frente: local de combate. combate: ato ou efeito de combater. combater: fazer guerra a. guerra: luta armada. luta: luta de classes. luta de classes: a relação de contradição entre as classes em uma sociedade dividida em exploradores e explorados. explorador(es): que explora(m). explora(r): abusar da boa-fé. abusar: estuprar. estuprar: cometer estupro. estupro: crime que consiste em constranger indivíduo, de qualquer idade ou condição, a conjunção carnal, por meio de violência ou grave ameaça; coito forçado; violação. violação: ofença ao direito alheio. alheio: privado. privado: particípio de privar. privar: desapossar alguém de alguma coisa. desapossar: obrigar a largar. largar: pôr em liberdade. liberdade: poder de agir. agir: obrar, operar, atuar. atuar: pôr em ação. ação: seqüência de acontecimentos de uma peça teatral. teatral: que busca produzir efeito no espectador. espectador: aquele que testemunha. testemunha: pessoa que viu ou ouviu alguma coisa, ou que é chamada a depor sobre aquilo que viu ou ouviu. aquilo: aquela coisa. coisa: objeto inanimado. objeto: artigo de compra e venda. venda: tira de pano com que se cobrem os olhos. tira: agente de polícia. polícia: a corporação que engloba os órgãos e instituições incumbidos de fazer respeitar essas leis ou regras, e de reprimir e perseguir o crime. perseguir: procurar adquirir. adquirir: passar a ter; vir a ter; ganhar dinheiro. dinheiro: cédulas e moedas aceitas como meio de pagamento. pagamento: restituição da quantia que se deve; reembolso. reembolso: ato ou efeito de reembolsar(-se). reembolsar: indenizar, compensar. compensar: estabelecer equilíbrio entre. entre: situação em que se apresentam duas coisas ou realidades contrárias para que se escolha uma delas. escolha: preferência, dileção, predileção. predileção: afeição extremosa. afeição: carinho, amizade. carinho: cuidado. cuidado: atenção. atenção: ato ou palavra que demonstra consideração, amabilidade, urbanidade, cortesia ou devoção a ou para com alguém. devoção: sentimento religioso. religioso: que tem religião. religião: crença. crença: ato ou efeito de crer. crer: acreditar. acreditar: conferir poderes a, para representar uma nação perante um país estrangeiro. país: pátria, terra. terra: o terceiro planeta do sistema solar, pela ordem do afastamento do sol; solo sobre o qual se anda; torrão. ordem: documento que autoriza ou determina a execução de uma ação. documento: escritura destinada a comprovar um fato; declaração escrita. escrita: alfabeto. alfabeto: sistema de escrita em que um conjunto de símbolos, as letras, representa os fonemas de uma língua. língua: órgão muscular alongado, móvel, situado na cavidade bucal.

*

[ Este conto acima foi uma tentativa minha de não escrever nenhuma linha. Explico: tudo está escrito, antes, no dicionário da língua portuguesa. Eu só fui, insistentemente, costurando as ligações. Adorei a experiência. O conto foi originalmente publicado na antologia “Desacordo Ortográfico”, organizada por Reginaldo Pujol para a Não Editora, RS, no ano de 2010. O mesmo conto fez parte do espetáculo recifense “RASIF – Mar que Arrebenta”, do Coletivo Angu de Teatro, imagem acima. Republico-o hoje, aqui em meu blog, por considerá-lo, infelizmente, cada vez mais atual, etc. e tal. Eta danado! Valeu e aquelabraço. ]

Read Full Post »

POEMINHA PARA UM AMOR MAIOR

abro
o
livro
e
você
salta
pula
do
parágrafo
e
fala
e
foge
para
a
próxima
página
no
capítulo
de
guerra

você
está
na
morte
da
poesia
vem
e
decreta
o
fim
do
dia
a
cada
frase
invade
o
meu
passado
e
o
meu
futuro
na
linha
da
minha
mão
seu
nome
viaja
por
todas
as
palavras
dono
de
todos
os
sentidos
fique
sabendo
disto
perdão
meu
amor
desde

que
eu
te
aviso
você

não
é
maior
do
que
um
livro

Read Full Post »

REFRESCANDO AS IDEIAS

botika_picole[1]

Ou recapitulando a história: Botika é um grande artista. Quando, há quase dez anos, apareceu como escritor na cena literária carioca. Autor da novelinha “Uma Autobiografia de Lucas Frizzo”, publicada pela Azougue Editorial. Uma delícia de linguagem e ousadia, etc. e tal. À frente do que se produzia àqueles tempos. Sempre à frente. Em 2010, foi a vez do romance “Búfalo” pela Língua Geral. Livro, aliás, que eu tive a honradez de preescrever umas linhas. Para, repito, lá na edição dizer e louvar e festejar essa figura única. Que continua única. Lembro-me: de ele, em noite de boemia lá no bairro de Santa Tereza, ter também me mostrado suas composições. Cantor, compositor idem. Articulador de forças outras. Explico: ouço Botika e me desestabilizo. Caio fora de órbita. Viro um saltimbanco. Botika, quando era o vocalista da banda Os Outros, já era, pois, circense. Divertia-se numa corda bamba. Melancolicamente feliz. Como eu posso dizer? Um verdadeiro picolé da cabeça. Refrescando, refrescando. “Picolé da Cabeça”, aliás, é a alcunha de seu primeiro disco solo (imagem acima). Aéreo. Voo delta. Que acaba de sair. Eu não paro de ouvir. Já sei decorado todas as letras. Como sou, viva e ave, fã e seguidor de sua delicadeza ultrassonora. De seu humor-amor. De sua linguagem sem rancor. Feliz. De peito aberto. E claro. Um cara iluminado. Artista desses que sempre me lançam muita luz. A cada coisa que faz. E refaz. O melhor artista-coração de sua geração. E de outras gerações geracionais. Para saber mais, clique aqui em cima. E corra. A galope. Ele faz parte de uma tribo rara. Dono da melhor festa. Cavaleiro de uma obra rica de frescor. E de acesas ideias. Em tempo: na foto abaixo, um recente flagrante de duas das minhas grandes paixões lá do Rio: Botika (de branco) ao lado de Pardal, outro grande poeta-ator-artista. E salve, salve e vamos que vamos e beleza e maravilha!

EuParBoti

Read Full Post »

ALGUNS VERSOS SOLTOS

*
o cu do mundo também é redondo.
*
o coração não para para pensar.
*
a solidão é uma camisinha na carteira.
*
o amor é uma amizade falsa.
*
a saudade é uma parte do corpo.
*
o seu sorriso voa.
*
o futuro demora muito tempo.
*
o sol nasceu ontem.
*
escritor escreve com os pés.
*
a morte é uma vida longa.
*

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: